« Voltar

Notícia

Externalidades do setor sucroenergético devem ser precificadas, segundo tese de Marcelo Moreira

08/03/2017

1 - marcelo.jpg


Marcelo Moreira, pesquisador sênior da Agroicone, virou doutor em Planejamento Energético pela Faculdade de Engenharia Mecânica da Unicamp, defendendo a tese “Estratégias para expansão do setor sucroenergético e suas contribuições para a NDC Brasileira”, em dezembro de 2016. Marcelo acredita que o setor sucroenergético terá grande participação no cumprimento do compromisso de reduzir as emissões de Gases Efeito Estufa (GEE) a partir da substituição dos combustíveis fósseis por etanol e pela geração de bioeletricidade gerada a partir da biomassa da cana-de-açúcar.


O tema tem grande relevância no cenário atual em que as discussões de como combater as mudanças climáticas ganham cada vez mais força. A tese considerou políticas de estímulo à bioeletricidade, recolhimento de palha de cana, precificação do carbono da gasolina e a produção de etanol de segunda geração (2G).


Utilizando a combinação de técnicas de planejamento energético, modelagem de uso da terra e avaliação de emissões de GEE, a conclusão da tese de Marcelo Moreira é que a correta precificação das externalidades é essencial para atingir os objetivos da NDC. O estudo também deixa claro que, ainda que a produção de cana gere emissões diretas e indiretas, os benefícios da expansão dos biocombustíveis serão muito maiores do que depender dos combustíveis fósseis. 


 “O objetivo da tese é identificar soluções eficientes para cumprimento dos objetivos da NDC, que também são objetivos da sociedade brasileira. É importante também identificar aquilo que simplesmente não funciona. O desenvolvimento e uso de modelagem alto padrão foi essencial para colocar números na discussão e fugir das opiniões”, comenta o pesquisador sênior da Agroicone.

  

Tel: +55 (11) 3025-0500

E-mail: agroicone@agroicone.com.br

Avenida Angélica, nº 2447 conjunto 173 - Higienópolis

CEP 01227-200 São Paulo/SP - Brasil